Cultura Nordestina – Festas Juninas

EMEFEM Luiz Joaquim dos Santos
Componente Curricular: Artes
Professora: Luciene
Turma: 8.º EJA
Semana 5 – Aula 05 – Dia: 15 / 06 / 2020
Tema: Cultura Nordestina – Festas Juninas

O B S E R V A Ç Ã O:

- Copie todo o texto e o exercício no seu caderno.
- Não será preciso enviar foto do exercício respondido, pois você deverá respondê-lo no formulário que se encontra nesta postagem.
- Após responder ao questionário, clique em ENVIAR.

Cultura Nordestina – Festas Juninas


O mês de junho se caracteriza por danças, comidas típicas, bandeirinhas, além da peculiaridade de cada região. São as Festas Juninas que se iniciam no dia 12 de junho (em alguns lugares, já no dia 1.º de junho), véspera do dia de Santo Antônio e se estendem até o dia 29 de junho (ou até o dia 30), quando se comemora o dia de São Pedro.

Celebradas no Brasil desde pelo menos o Século XVII, as Festas Juninas constituem a segunda maior comemoração realizada pelos brasileiros, ficando atrás apenas do Carnaval. De acordo com os historiadores, a festa tem origem no culto aos deuses pagãos, mas sofreu influências do Catolicismo e hoje há forte associação com os Santos Católicos, Santo Antônio (comemorado no dia 13 de junho), São João Batista (comemorado no dia 24 de junho) e São Pedro (comemorado no dia 29 de junho).

Com a chegada dos portugueses, as festas, que já eram típicas na Europa, também desembarcaram no Brasil e aos poucos foram se misturando com elementos próprios do interior do país e das tradições sertanejas. Comidas típicas, danças e enfeites utilizados nas festas de hoje são a junção de partes da cultura africana, europeia e indígena.

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão e valorização. As mais tradicionais festas juninas do Brasil acontecem em Campina Grande (Paraíba) e Caruaru (Pernambuco).

As festas costumam ser realizadas ao ar livre, em um terreiro enfeitado com bandeirinhas coloridas, onde uma fogueira permanece acesa durante a noite toda. À mesa, são servidas comidas típicas, como canjica de milho, pé-de-moleque, pipoca, amendoim torrado e doce de batata-doce, entre outras.

Os adultos bebem vinho quente temperado com especiarias e o tradicional quentão, feito à base de pinga e gengibre. O momento alto da festa é a dança da quadrilha, que tem origem francesa.

Nessa época, as pessoas costumam fazer pedidos aos santos: daí vêm as “simpatias”, rituais que devem ser seguidos à risca para que um desejo se realize – as mais conhecidas estão ligadas a Santo Antônio, considerado “casamenteiro”.

EXERCÍCIO SOBRE O TEXTO – Entrega dia 22 / 06 / 2020


Responda ao questionário:

Bons estudos